sábado, 15 de junho de 2013

SÓIS VÓS ENTRE AS MULHERES!!

A moda agora é viver em um harém. Um homem com várias mulheres vale ouro! É o fodão, o comilão que dá conta de todas, cheio de energia e amor pra dar. Como tá faltando homem no mercado brasileiro, as mulheres lutam até pelos (des)compromissados. Viva a modernidade! E olha que já vi reportagens de mulheres que gostam mesmo é dos homens casados. Ver o anelzinho de ouro no dedo é um atrativo. Elas dizem que homens casados são mais maduros, têm supostamente uma vida financeira estável (what?) e são bons de cama. Eles ensaiam em casa com a oficial e vão para a cena com as outras milhares, que estão no lema: Vem que eu tô facinha!

Quando vaga homem, pelo menos umas 10 insanas pulam em cima do alvo e abocanham a presa. Quem dá mais? Que dá mais? Pra que se apaixonar e ter um relacionamento monogâmico, se você pode ter em cada paquera da night, qualidades diferentes, que podem se complementar e deixá-lo satisfeito? 


Ontem fui para um show com músicas temáticas dos anos 80. A festa era habitada basicamente por pessoas acima dos 30. As mulheres de 40 estavam insanas na frente do palco, se jogando literalmente para os cantores. Balançavam os cabelos de escova progressiva(quando é mal feita,falo mesmo!), remexiam os quadris, levantavam as bebidas e cantavam até ficarem roucas. Uma delas levantou a blusa, mostrou o soutien e a sua barriga ainda no shape,gritando: Uhuuuuu!!

Uhu!

Aí comecei a pensar nas letras das músicas de Anitta, nova sensação do funk carioca, que eu assumo que adoro. Ouço as músicas na maior altura, quando entro no carro. 


"Pode me olhar
Só não pode tocar
Que a cobra é venenosa
Cuidado pra não se machucar"


"Me olha e deseja que eu veja,
Mas já digo: "Não vai rolar!".
Agora é tarde pra você querer me ganhar.
Rebolo e te olho,
Mas eu não quero mais ficar.
Admito que acho graça em ver você babar. "


"Eu posso conquistar tudo que eu quero
Mas foi tão fácil pra te controlar
Com jeito de menina brincalhona
A fórmula perfeita pra poder te comandar"


Ela faz um movimento que me interessa muito. Vai de encontro ao movimento das senhoritas "Vem que tô facinha".

Não sou hipócrita. Tenho meus dias de facinha, mas no geral sou dificinha. Será que consigo escrever o funk das dificinhas??

Depois de muito tempo deu vontade de reativar esse blog.As minhas ideias são confusas, mas tento escrever como penso e como falo. Reli todos os textos bobos que escrevi (desde 2011) e vejo que escrevo simplesmente variações do mesmo tema. Tive que rir muito com essa conclusão óbvia. Será um ciclo vicioso?
 
Aí saiu essa talagada de texto. Com referências ótimas, heim!
Foi mal. Fiquem livres. Leiam ou não.

Reflexão Barata: 
Será que consigo escrever o funk das dificinhas??

segunda-feira, 19 de março de 2012

PARA ME SENTIR MELHOR

Quando você vê uma pessoa sempre sozinha, em todas as festas, o quê você pensa?
Problemática.
Solteiro traumatizado.
Menina grudenta.
Esse cara é estranho...

Não sou Madre Tereza da Calcutá, mas um dia resolvi me aproximar de um cara que eu achava estranho. Estranho por estar sempre sozinho.
Confesso que resisti um pouco, quando ele veio falar comigo, mas sorri gentilmente. Pronto. Nem doeu. Saímos. Ficamos. Sorrimos juntos. Compartilhamos delícias. Nos vimos várias vezes. Não deu certo. Acontece.

Tentei não pensar: ele é mesmo problemático.
Mas pensei.

Agora tô aqui pensando: eu estou sozinha.
Vou ao cinema sozinha. Teatro. Outro dia fui pra um show.
Será que vão me achar de problemática? Estranha?

Achei várias frases na internet, na tentativa de não me achar um E.T.

1. Tenho fases, como a Lua; fases de ser sozinha, fases de ser só sua.
2. Eu me renovo quando fico sozinha.
3. Viajo sozinha com o meu coração
Não ando perdida, mas desencontrada
Levo o meu rumo na minha mão
4. A minha infância de menina sozinha deu-me duas coisas que parecem negativas, e, foram sempre positivas para mim: silêncio e solidão. (Cecília Meireles)
5. Sempre andei sozinha. Me dou bem comigo mesma. (Leila Diniz)
6. Quando estou sozinha procuro não pensar porque tenho medo de de repente pensar uma coisa nova demais para mim mesma. (Clarice Lispector)
7. Quando eu ficar sozinha, estarei seguindo o destino de todas as mulheres. (Clarice Lispector)
8. E me pego sorrindo, sozinha. E me pego nem aí para todo o resto. (Tati Bernardi)
9. Não é preciso me iludir pra eu ser iludida. Eu sei criar labirintos sozinha e ainda me perco com dignidade. (Verônica H.)
10.Eu sou sozinha no mundo e não acredito em ninguém; todos mentem, às vezes até na hora do amor, eu não acho que um ser fale com o outro, a verdade só me vem quando estou sozinha. (Clarice Lispector)
11. Eu nunca disse 'Quero ficar sozinha'. Eu disse 'Quero que me deixem sozinha'. Aí está toda a diferença. (Greta Garbo)
12. Eu não ligo para estar sozinha.
Pois tenho por companhia.
Mil corações onde sou rainha! (Cazuza)
13. Eu só bebo vinho. E de preferência sozinha, que é pra ninguém me encher com o fato de eu ficar muito filosófica e um pouco tarada (não necessariamente nessa ordem) com meia taça. (Tati Bernardi)
14. Tenho medo de terminar sozinha. Tenho medo de ser sempre amiga, irmã e confidente, mas nunca o ‘tudo’ de alguém.  (Tati Bernardi)
15. O problema é ficar completamente no escuro. Você ficou incomunicável e esqueceu de deixar um manual de instruções sobre como viver sozinha depois de te conhecer. (Verônica H.)
16. No palco faço amor com mais de 25.000 pessoas, e depois vou pra casa sozinha. (Janis Jopli) 
17. Sinto-me mal, e ficarei pior, mas vou aprendendo a estar sozinha e isso já é uma vantagem e um pequeno triunfo.  (Frida Kahlo
18. Eu não vou chorar nem lamentar por não lhe ter. Sozinha valho mais do que dois de você juntos. (Jéssica Mattos)
19. Você nota que o amor acaba quando começa a se sentir melhor sozinha do que quando está na presença dele. (Carolina Bensino)
20. A alma humana é feita para não estar sozinha. (Pierre Chardin)

Fiquei espantada com a quantidade de gente famosa, que se sentia muito sozinha...
Estranho.




Reflexão Barata:
Posso me sentir melhor ao ver Frida Kahlo, Cecília Meirelles e  Clarice Lispector, se sentirem ou serem, tão dolorosamente e poeticamente sozinhas?

domingo, 18 de setembro de 2011

Can I?

Poder.
Ou poder?


Medo de se aproximar de uma mulher poderosa e levar um chute.
Preferem as mais fáceis e bonitinhas. As lindonas dão medo.
Eu posso com essa mulher, ou é melhor poder com uma menos poderosa e segura de si?
É muita areia para o meu caminhão?
Eu consigo carregar essa areia toda ou ela pode vazar por algum buraco?


A gente tava na maior paquera, pela internet, abraços gostosos, olhares mais do que claros, uma bate papo gostoso, gostos em comum... De repente ele começa a conversar com uma desconhecida, dança com ela e em 3 minutos a beija. Ahã.

O que aconteceu?
Sou um monstro?
Falei algo errado?
Tô com mau hálito?
Estou emanando energias ruins?
Hum...
Sou poderosa e assusto.
Sou bem resolvida e assusto.
Se você der mole, corre os risco de eu te dar um bom chute na bunda.

Mas (olha eu Poliana) o que é a vida se não riscos e riscos no escuro?? Por quê esse medo todo?
O que é ser poderoso? Poderosa? Já perguntou se eu quero alguém tão poderoso quanto eu??
Será que eu me acho tão poderosa quanto você me acha?
Que tal corrermos o risco?

Reflexão Barata:
Can we...

quinta-feira, 30 de junho de 2011

To be fiel or not to be fiel... That´s the question!

Conheci ele. Lindo, cheiroso, gostoso, sensível, atencioso, inteligente...
Ele viajou. Me deixou com gosto de saudade do doce da sua boca e das suas palavras.
Trocamos mensagens, ligações com conversas deliciosas durante algumas semanas e ...
Ai, ai... Os momentos agradáveis continuaram nos meus pensamentos, lembrando do que aconteceu, e criando expectativas para os nossos possíveis futuros encontros.


Silêncio.


Sumiço.


Zzzz....


Ele tem namorada. Sim, ele é comprometido.
Como assim Bial?


Nos reencontramos e ele assumiu o que me pareceu ser uma suposta metáfora do anel no dedo anelar da mão esquerda. Mas deixou em aberto a possibilidade de nos vermos. Deixou a possibilidade de ainda assim nos vermos. Deu a entender que poderíamos nos ver. Sim. Estou repetindo essa frase, de diversas formas, pra tentar entender. Não estou condenando o que ele e várias outras pessoas fazem. Eu já fiz isso. Mas por quê a gente faz isso mesmo? É possível desejar somente uma pessoa? Por quanto tempo a gente consegue ser fiel? E quando eu estiver comprometida, e aparecer alguém muito, muito atrativo e especial... Eu deveria deixar essa pessoa passar despercebida? Posso não considerar essa "infidelidade especial" como traição? Foi só um deslise necessário, para me fazer perceber o quanto gosto do meu amado/amada? Pequenas traições fortalecem os relacionamentos? Renovam? Ou confundem nossas cabeças padronizadas para a monogamia?

Com certeza quem está lendo minhas baboseiras sobre relacionamento está pensando:
Gata, essas perguntas são velhas...
Gastas...
Desnecessárias...


Porram. Sei não. Acho que vou morrer fazendo essas perguntas...


Reflexão Barata:
Por quê não ficamos solteiros e assumimos a impossibilidade de monogamia?

domingo, 5 de junho de 2011

E você vai levando...

Antes só do que mal acompanhada.
Já dizia a minha vó.
A minha vó, o cara da padaria, o vizinho, a moça que faz minha unha,  minha mãe, o carteiro, os aviões em sinal de fumaça...
Na vida real isso não é tal fácil de ser entendido.

Todo mundo tem medo de ficar sozinho.
Sei que há momentos em que quero o silêncio.
Mas na hora de preencher o vazio, ter um afago ou um beijinho de alguém é bom demais.

Meu maior medo é ter tanto medo de ficar sozinha que terei que me contentar com uma relação "mais ou menos"...
O cara te deixa meio feliz, te acha meio bonita, você acha ele meio interessante... e você vai levando.
Ou o cara é um panaca, te faz mal, é exageradamente ciumento, te humilha, vive brigando, mas o sexo é bom... E você vai levando.

Não me entendam mal. Não busco a perfeição. Essa moça chamada Perfeição pra mim nem existe.
O negócio é que quando a relação tá mais pra "menos" do que "mais ou menos" , é algo pra se preocupar.
E se mexer com seu amor próprio então...

Puta que pariu. Tenho tantas pessoas próximas, que "vão levando" uma relação nada saudável, que queria ter a varinha de condão do Semancol pra fazer Plim! Se manca!

Tá na cara que você tá mal, que o cara te levou todo o brilho dos seus olhos... E você vai levando??

Eu não acredito em carma. Sinto muito.



Reflexão Barata:
O mais ou menos é melhor que nada?

domingo, 29 de maio de 2011

Tombo, queda, trabolhão, caída, re-caída

Recaída. O nome já diz: Cair de novo.
Você já caiu e doeu. Aí você se esborracha no chão novamente.
Minha vó diria que "você magoou a ferida, menina!".
Então tá vó. Eu magoei a mim mesma. E eu sabia que isso iria acontecer.

Classe gramatical de tombo: Substantivo masculino

Maldita hora que eu inventei de alimentar uma conversa com meu ex. E o pior: o ex que eu amei. O ex que ainda mexe comigo. O ex que deixou seu cheiro, ainda fresquinho, no meu pescoço. O ex que faz um sexo que...ai ai. Maldito ex.
E a noite foi maravilhosa. Jantar com direito a vinho-tinto-meio-seco (o que ele sabe que eu gosto), carinho na mão, sorrisos...
E ele pergunta: como anda sua família? Seu gato? Seus estudos? Seu trabalho? Seus sonhos? Como anda você?
Fudida. Essa é a resposta que vem no dia seguinte.
Ele terminou contigo, mas você ainda gosta dele.
Ele se mostra interessado em saber da sua vida, e você se ilude por um momento achando que voltou a ser interessante pra ele novamente. Mas no dia seguinte não há telefonema. Não há mensagem. Não há nada. Só um vazio dentro de você.
Há algumas horas você ouvia a sua respiração ofegante, bem de perto.
Agora não ouve nada.
E agora?

Minha melhor amiga diria: Eu te disse! Ele só quer aproveitar a melhor parte de você, o que é mais interessante pra ele. Quer saber como você está, se você quase se suicidou com o término...
Mas... 
E...
E só.

É difícil resistir à recaída. Já me vi resistindo várias vezes, mas também levei vários tombos.
Tombos que doem mais do que o próprio momento do término.
Tombos que dão vontade de permanecer no chão, pensando, lembrando...
Nessas horas minhas queridas amigas me dão uma mãozinha e me ajudam a levantar.
Ah se não fossem elas...
O tombo poderia deixar uma ferida permanente. Talvez um câncer!
Mas nada que umas garradas de champagne não resolvam...

Reflexão barata:
Há vida após um tombo?

domingo, 22 de maio de 2011

Coisas de canto

Jogar coisas no canto e fingir que elas não existem.
De vez enquando acessar, pra lembrar de algumas coisas.
Pra sofrer, pra ter nostalgia, pra tentar de novo, e de novo.
Pra perceber que a gente aprende com o sofrimento.
Pra perceber que o fim é preciso.

Processo de final de namoro é foda.
Tem gente que some no fundo do poço, e depois volta à superfície, um pouco melhor.
Tem gente que não some, que quer saber de tudo sobre o ex, que quer sentir raiva pra ajudar a esquecer.
Tem gente que tem recaída.
Tem gente que acessa a agenda e camufla a dor com outra pessoa.
Sei lá. 
Eu prefiro sumir. Pelo menos eu tento.
A vida da pessoa não tem que me interessar mais. Pelo menos eu tento.
De vez enquando, dar uma espiadinha não faz mal a ninguém... Pelo menos eu tento não sofrer.
Saber que ele está com outra é terrível.
Saber que ele está bem, é terrível.
Terrível!

P.S. - Estou considerando as pessoas que foram "rejeitadas". Pra quem termina, é mais fácil ficar por cima da carne seca, né?

E o mais punk é encontrar essa pessoa uns 3 meses depois do término, e se perguntar: Eu conheço você?
Fique tanto tempo dividindo a vida com alguém que agora eu desconheço...

Também  já ou vi coisa do tipo: Não me interesso mais por você, mas queria que não sumisse da minha vida...
Ai ai...

Eu sumo sim.
Preciso me recompôr!
Com licença.

Reflexões baratas:
É possível apagar completamente uma pessoa, que um dia foi seu amor?
É possível transformar uma relação de paixão, em amizade?
É necessário acessar o cantinho?