domingo, 29 de maio de 2011

Tombo, queda, trabolhão, caída, re-caída

Recaída. O nome já diz: Cair de novo.
Você já caiu e doeu. Aí você se esborracha no chão novamente.
Minha vó diria que "você magoou a ferida, menina!".
Então tá vó. Eu magoei a mim mesma. E eu sabia que isso iria acontecer.

Classe gramatical de tombo: Substantivo masculino

Maldita hora que eu inventei de alimentar uma conversa com meu ex. E o pior: o ex que eu amei. O ex que ainda mexe comigo. O ex que deixou seu cheiro, ainda fresquinho, no meu pescoço. O ex que faz um sexo que...ai ai. Maldito ex.
E a noite foi maravilhosa. Jantar com direito a vinho-tinto-meio-seco (o que ele sabe que eu gosto), carinho na mão, sorrisos...
E ele pergunta: como anda sua família? Seu gato? Seus estudos? Seu trabalho? Seus sonhos? Como anda você?
Fudida. Essa é a resposta que vem no dia seguinte.
Ele terminou contigo, mas você ainda gosta dele.
Ele se mostra interessado em saber da sua vida, e você se ilude por um momento achando que voltou a ser interessante pra ele novamente. Mas no dia seguinte não há telefonema. Não há mensagem. Não há nada. Só um vazio dentro de você.
Há algumas horas você ouvia a sua respiração ofegante, bem de perto.
Agora não ouve nada.
E agora?

Minha melhor amiga diria: Eu te disse! Ele só quer aproveitar a melhor parte de você, o que é mais interessante pra ele. Quer saber como você está, se você quase se suicidou com o término...
Mas... 
E...
E só.

É difícil resistir à recaída. Já me vi resistindo várias vezes, mas também levei vários tombos.
Tombos que doem mais do que o próprio momento do término.
Tombos que dão vontade de permanecer no chão, pensando, lembrando...
Nessas horas minhas queridas amigas me dão uma mãozinha e me ajudam a levantar.
Ah se não fossem elas...
O tombo poderia deixar uma ferida permanente. Talvez um câncer!
Mas nada que umas garradas de champagne não resolvam...

Reflexão barata:
Há vida após um tombo?

Um comentário:

  1. Há! Sempre há! Mesmo porque, joelho ralado por cima da cicatriz recém adquirida, mesmo que a gente resista, também é vida!

    ResponderExcluir