sábado, 15 de junho de 2013

SÓIS VÓS ENTRE AS MULHERES!!

A moda agora é viver em um harém. Um homem com várias mulheres vale ouro! É o fodão, o comilão que dá conta de todas, cheio de energia e amor pra dar. Como tá faltando homem no mercado brasileiro, as mulheres lutam até pelos (des)compromissados. Viva a modernidade! E olha que já vi reportagens de mulheres que gostam mesmo é dos homens casados. Ver o anelzinho de ouro no dedo é um atrativo. Elas dizem que homens casados são mais maduros, têm supostamente uma vida financeira estável (what?) e são bons de cama. Eles ensaiam em casa com a oficial e vão para a cena com as outras milhares, que estão no lema: Vem que eu tô facinha!

Quando vaga homem, pelo menos umas 10 insanas pulam em cima do alvo e abocanham a presa. Quem dá mais? Que dá mais? Pra que se apaixonar e ter um relacionamento monogâmico, se você pode ter em cada paquera da night, qualidades diferentes, que podem se complementar e deixá-lo satisfeito? 


Ontem fui para um show com músicas temáticas dos anos 80. A festa era habitada basicamente por pessoas acima dos 30. As mulheres de 40 estavam insanas na frente do palco, se jogando literalmente para os cantores. Balançavam os cabelos de escova progressiva(quando é mal feita,falo mesmo!), remexiam os quadris, levantavam as bebidas e cantavam até ficarem roucas. Uma delas levantou a blusa, mostrou o soutien e a sua barriga ainda no shape,gritando: Uhuuuuu!!

Uhu!

Aí comecei a pensar nas letras das músicas de Anitta, nova sensação do funk carioca, que eu assumo que adoro. Ouço as músicas na maior altura, quando entro no carro. 


"Pode me olhar
Só não pode tocar
Que a cobra é venenosa
Cuidado pra não se machucar"


"Me olha e deseja que eu veja,
Mas já digo: "Não vai rolar!".
Agora é tarde pra você querer me ganhar.
Rebolo e te olho,
Mas eu não quero mais ficar.
Admito que acho graça em ver você babar. "


"Eu posso conquistar tudo que eu quero
Mas foi tão fácil pra te controlar
Com jeito de menina brincalhona
A fórmula perfeita pra poder te comandar"


Ela faz um movimento que me interessa muito. Vai de encontro ao movimento das senhoritas "Vem que tô facinha".

Não sou hipócrita. Tenho meus dias de facinha, mas no geral sou dificinha. Será que consigo escrever o funk das dificinhas??

Depois de muito tempo deu vontade de reativar esse blog.As minhas ideias são confusas, mas tento escrever como penso e como falo. Reli todos os textos bobos que escrevi (desde 2011) e vejo que escrevo simplesmente variações do mesmo tema. Tive que rir muito com essa conclusão óbvia. Será um ciclo vicioso?
 
Aí saiu essa talagada de texto. Com referências ótimas, heim!
Foi mal. Fiquem livres. Leiam ou não.

Reflexão Barata: 
Será que consigo escrever o funk das dificinhas??